Segunda-feira, 2 de Julho de 2007

os jovens idealistas

 

Todos dizem que preferem soluções pacíficas, mas isso é mesmo próprio de quem lê romances demais. Então revoltam-se nos cafés e fazem discursos pelos bares, e estão absolutamente convictos que o mundo é realmente deles.

Os jovens idealistas, continuam acreditando que podem fazer essa diferença.

 

Os jovens idealistas pensam que tudo vem escrito nos livros e que um governo se forma com os amigos. Mas uma revolução não se faz com a letra duma canção nem as manifestações influenciam assim decisões. Porque não basta querer ser-se diferente quando nem sabemos como é ser igual a toda a gente.

 

Eles têm sonhos utópicos e manifestos económicos, mas é difícil ser-se livre quando ainda vivem com os pais. Então preparam uma revolta no computador portátil e acham mesmo que o mundo cabe dentro do telemóvel. Os jovens idealistas, continuam a acreditar que podem mesmo tomar a Bolsa de assalto.

 

Os jovens idealistas ficam bem numa montra duma loja, tal como se fossem mais uma moda passageira. E chega uma altura que têm de escolher, mas é bem mais confortável viverem sem se aborrecer. E as reuniões académicas serão sempre recordadas em fotos de câmaras digitais compradas pelos pais.

 

Mas um dia trocam as calças de ganga pelos fatos de linho, e o autocarro por um automóvel de alta cilindrada. Então, o Che torna-se um revolucionário de ficção e Fidel num comandante sem razão. Agora, finalmente percebem que tudo aquilo em que acreditavam era próprio dessa idade: os jovens idealistas.

 

Um abraço...

shakermaker

 

para ver: The Outsiders » FrancisCoppola
para ouvir: The Drowners por Suede (1993)
blogjob por shakermaker às 00:00

ISOLAR POST | RECOLHER POST
De dhyana a 2 de Julho de 2007 às 14:44
Leio-lhe sempre e as vezes não comento porque normalmente diz tudo!
Quanto ao prémio, nunca elogio ninguém sem ter motivos para tal e o seu blog merece elogios, merece ser premiado; porque aborda os assuntos com a arrogância de um sábio e inteligência dos ousados.
Gosto disso, de pessoas ousadas.
Quanto a este último post, o assunto mexeu tanto comigo que não me atrevi a "inundar-lhe" o blog com um extenso comentário, então escrevi no meu.
Abraços...
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.
Blog Widget by LinkWithin

»posts & blogjobs

» música menstrual

» o amor faliu

» dead man walking

» alive and kicking

» saudade amolece

» música para gente grisalh...

» penálti de cabeça #01

» café puro

» mais (es)perto da estupid...

» do caixão ao berço

» você bate no seu pc?!

» parebenizar & desvaloriza...

» bamboleo bambolea

» subindo paredes

» videoclip #05

» recycle bin

» saturday night sweat

» deixem-me em paz!

» working class hero

» a frase feita: o lugar-co...

» foram espinhos contra ros...

» há coisas que eu sei

» (quase) tudo sobre justiç...

» videoclip #04

» surrealizar por aí

» (com)postura corporal soc...

» todos juntos somos mais

» (quase) tudo sobre cortej...

» amor: um silêncio coniven...

» o cintilante não é brilha...

» a conspiração do semáforo

» as lesmas & as alfaces

» molhar as partes pudibund...

» presos pelo nariz

» dog bless america

» inferência das coincidênc...

» eu acredito no mosquito

» quem tem o gay na barriga...

» tira-nódoas vs tira-teima...

» um eco do prazer

» estou cansado de ser sexy...

» amor: reavivando a memóri...

» cosmética sexual #02

» cosmética sexual #01

» amor: brincando com o fog...

» cravados na mente

» o universo paralelo

» mistério do objecto invis...

» 7 e picos, 8 e coiso, 9 e...

» #33

»séquito & móinas

»feeds & não-sei-quê

»tags

» todas as tags