Sábado, 10 de Novembro de 2007

não atire o pau ao gato

 

Pegue no bichano e aninhe-o no seu braço esquerdo, como se estivesse a segurar um bebé. Coloque o indicador e o polegar da mão direita nos dois lados da boquinha do tareco e aplique-lhe uma suave pressão nas bochechas, enquanto segura o comprimido na palma da mão. Quando o felino abrir a boca, atire o comprimido lá para dentro: o mais rapidamente que lhe for possível. Deixe o gato fechar a boca e engolir. Bom, não desespere pois a primeira vez nem sempre corre bem. Recupere, então, o comprimido do chão e o gatinho detrás do sofá. Volte a aninhar o bichano no braço esquerdo e repita o processo. Calma, não adianta começar já a praguejar. Vá buscar o gato ao quarto, debaixo da cama, e deite fora esse comprimido meio desfeito. Retire de novo outro comprimido da embalagem e volte a aninhar o tareco no seu braço, enquanto lhe segura firmemente as patas traseiras com a mão esquerda. Agora, obrigue o gato a abrir as mandíbulas e empurre novamente o comprimido, com o indicador direito, pelas goelas abaixo. Mantenha-o com a boca fechada e conte até dez. Pois, fazemos então assim: continue a contar até cem para se ir acalmando. Isso – respire fundo e quando terminar pode resgatar o comprimido que está no meio das cinzas da lareira e o bichano de cima do roupeiro do quarto. Vá lá, não se irrite: tem que ser mais paciente.

 

Ajoelhe-se no chão com o gato muito bem preso entre os seus joelhos. Segure-lhe as patas da frente e as de trás. Ignore os rosnados do seu felino e peça a alguém que segure com firmeza na cabeça do gato com uma mão, enquanto força a ponta de uma régua para dentro da boca do gato com a outra mão. Deixe cair o comprimido ao longo da régua, como se dum escorrega de tratasse, e esfregue vigorosamente o pescoço do tareco. Não fique assim, estas coisas levam o seu tempo e desatar a dizer palavrões não o vai ajudar em nada, bem pelo contrário. Vá buscar o gato ao suporte dos cortinados e retire outro comprimido da embalagem. Aproveite para fazer uma pausa e varra cuidadosamente os cacos daquela estatueta que tanto gosta e guarde-os para colar mais tarde. Enrole o miau numa toalha grande e peça a alguém, se ambos ainda tiverem coragem, para se deitar por cima do bichano, e para que apenas a cabeça do gato lhe apareça por debaixo do sovaco. Coloque, desta vez, o comprimido na ponta duma palhinha de beber, obrigando o gato a abrir a boca, e a mantê-la aberta com a ajuda dum lápis. Agora, assopre o comprimido da palhinha para dentro da boca do felino. Grande bronca! Calma, não desespere! Leia rapidamente as contra-indicações inclusas na embalagem para verificar se o comprimido faz mal a humanos.

 

Agora que tossiu e já não está mais engasgado, remova a sua saliva da carpete da sala com auxílio de água morna e sabão. Vá novamente ao quarto retirar o gato de cima do roupeiro e, no caminho, traga outro comprimido. Coloque o tareco dentro do roupeiro e entale-lhe a cabeça entre as portas, de forma a ficar apenas com o focinho de fora. Force a abertura da boca do gato com uma colher de pau. Utilize também um elástico como fisga para atirar o comprimido pela garganta do bichinho abaixo. Vá buscar uma chave de fendas à arrecadação e coloque a porta do armário de novo nos eixos. Verifique, na sua cédula, a data em que apanhou a última vacina contra o tétano e aplique uma compressa nos seus arranhões da bochecha. Amarre as patas da frente do gato com as patas de trás com uma corda e prenda-o bem à perna da mesa da sala de jantar. Vá buscar umas luvas de couro e outro comprimido. Empurre de novo o fármaco para dentro da boca do tareco, seguido de uma colher de comida. Atenção, tem que ser suficientemente bruto desta feita. Segure a cabeça do miau na vertical e despeje-lhe um litro de água pela goela abaixo para que o comprimido desça. Sossegue, pois esse golpe no lábio inferior não tardará a fechar: basta que, para isso, coloque um pouco de Betadine e deixe o fármaco actuar por algum tempo.

 

Bom, e agora que já não tem mais comprimidos para dar ao seu bichano, aproveite e descanse com o gato no seu colo. Porém, primeiro, terá que o ir buscar à rua e depois substituir o vidro da janela por onde o tareco se atirou. Mas não se preocupe pois o gato deve estar bem. Afinal, ao contrário de si, o seu gato tem sete vidas. Aproveite esta pausa e considere a hipótese de ir com o gatinho a um veterinário para que este lhe dê o bendito comprimido. Se mesmo assim não resultar, então talvez seja melhor contactar os préstimos dum exorcista. Experimente nos anúncios classificados do Correio da Manhã. É claro que terá que gastar algum dinheiro mas, bem feitas as contas, aposto que terá menos prejuízo do que terá que desembolsar pelos estragos na sua casa. Não adianta praguejar diante do miau pois não só ele não o entende como continuará a fazer figura de parvo. Não acha que já chega? Já viu bem o estado lastimável em que ficou a sua sala? E todas essas arranhadelas – presumo que devem arder como o raio que o parta! Seja sensato e não atire o pau ao gato: o pobre do bicho não tem culpa da sua falta de jeito. Sabe, devia ter dado ouvidos aos seus amigos antes de ter levado o felino para casa. Para a próxima, escolha antes tartarugas. Ou, a avaliar pela sua falta de jeito, um peluche. Sim, um sossegadinho e simpático amiguinho de pelúcia.

 

Um abraço...

shakermaker

para ver: Cats » Andrew Lloyd Webber
para ouvir: An Cat Dubh por U2 em Boy
blogjob por shakermaker às 00:00

ISOLAR POST | DESANCAR POST | RECOLHER POST
10 LINCHAMENTOS:
De cigana a 10 de Novembro de 2007 às 00:42
Ri à gargalhada com tanta peripécia, mas estou tão habituada a medicar os meus bichanos num abrir e fechar de olhos... Eu estou viva e de boa saúde e eles também! E a casa não sofre danos!

De noivo a 12 de Novembro de 2007 às 16:06
olha, isso pareceu-me mesmo uma tentativa tua:) espero estar enganado:) cá por mim, felizmente, não tenho esses problemas. Basta ter algo na mão que as minhas pestes canídeas começam a salivar, sem sequer saberem do que se trata :)
De Alma a 10 de Novembro de 2007 às 17:39
Bem, é a 1ª vez que chorei de tanto rir a ler um post!!! fantástico simplesmente!!!

Para mim, que sou alérgica a gatos, deixava o bichinho recuperar naturalmente, assim como quem não quer a coisa...

Parabéns pelo excelente blog!
De Manefta a 10 de Novembro de 2007 às 19:54
Ora viva caro Shakermaker!

Este texto está com piadica, está, está. Vou dar-lhe um conselho: coloque o fármaco num almofariz e triture, em seguida misture com meia whiskas saquetas. Simples não é? Deixe lá, quem não sabe, é como quem não vê. É por isso que gosto de saber tudo, como por exemplo, o caríssimo não é canhoto. Não muda nada, é só mesmo, esta minha predisposição para gravar insignificâncias a trabalhar.

Ora os bichanos...(é verdade, a gata é gira) dizia eu, os bichanos...Já tive muita bicharada. Há uns anos atrás vivia numa casa com um jardim enorme, vai dai, adorava povoar aquela relva com bichos de todas as cores. Tipo Arca da Mané. Acolhia abandonados e depois arranjava-lhes casa. Era giro.

Alguns eram especiais por isso tinham nome, tais como: Yuka Maria, Manefta Cristina, Kuma Beatriz, Lucky Daniel, Zambia Alexandra, Tommy Catarina, Simba José, Sarabi Madalena, Yara Margarida e a morcega que era a Luna Carina. Só fiquei com a Kuma, uma rott marada, que quando canto ela uiva lol.

A Yuka, era linda, tipo essa da foto, ( pronto puseram-me a falar de bichanos ) a YuKa começou por ser Yuka Maria a fofa, depois era Yuka Maria a prostituta e no final Yuka Maria a podre. Era uma siamesa japonesa, não sei se sabe o que é, mas são lindas, essa cabra fugiu e nunca mais voltou, ainda hoje quando abro uma lata de atum parece que a vejo, a vir disparada, pelo canto do olho, a Manefta era arisca porra, era impossivel o dialogo, mas de repente batia-lhe e era um doce, então se a deixasse estar em cima do meu ombro, era um descanço, tirando as marcas que ficavam nos ombros da menina.

A morcega pá, era o máximo, bem sei que não se deve, mas não resisti, passava imenso tempo a abrir-lhe as asas, são mta loucas, sempre que lhe abria uma asa, ela fechava os olhos, como quem se está a vir, mas nem sabe, adorava pendurar-se no bonsai, entretanto larguei-a no parque da cidade, espero que esteja bem, nunca mais escreveu.

Olha porra, espero que esteja contente caro mouro, está-me a bater a saudade. Principalmente da Yuka, era tão especial e esperta o raio da bicha, enfim...olha amuei lol

Bom, hoje é sábado, e dei-me conta que ultimamente só sei trabalhar, de modo que, já não me enfrasco faz tempo. Acho que vou por a dar o sexo e a cidade enquanto mando cocktail de lichee como se não houvesse daqui a bocado, nem amanhã tão pouco.

Cock-tail de lichee: 2 doses de saké, 1 de gin, e outra de drambuie ( aquela porra azul) manda-se lichees para dentro do almofariz...lá está...sempre a bombar, esmaga-se, mistura-se açucar a gosto e essencia de baunilha, coa-se e manda-se para o shaker, lá está, que já está com o alcool e gelo picado. No final faça-ahhhhh foda-se que é bom!!

E repita até que as gajas do sexo e a cidade pareçam fazer sentido e até tenham graça, aí, é oficial, está com os copos.
Descanse, quando der por si, é domingo, e estará alguém a querer fazer-lhe uma puta duma visita desnecessária que o vai acordar e lembrar-lhe que é impossivel as gajas terem graça e que as garrafas vazias não são culpa da gata. Ainda por cima, amanhã é segunda.

Caro Shakermaker, um bom resto de fim de semana.

Um beijo,

Manefta
De Danni a 10 de Novembro de 2007 às 22:47
Epah... mais vale dar mesmo com o pau ao gato... mas com força!! Jinhos e bom fim de semana! ;)
De mochopachorrento a 11 de Novembro de 2007 às 00:31
Estava a ler isto enquanto estava de serviço mas tive de parar por várias vezes senão escangalhava-me a rir. No mínimo brilhante. É por isso que não tenho gatos...
De Insaciavel a 12 de Novembro de 2007 às 00:45
Caríssimo

Tambem prefiro a versão "triturar e misturar em wiskas" , no entanto, pela prosa (sempre) deliciosa, quase (mas só mesmo quase) que merece que eu faça um tentativa.

Beijos
De noivo a 12 de Novembro de 2007 às 16:07
ups, já viste que me enganei:)
olha, isso pareceu-me mesmo uma tentativa tua:) espero estar enganado:) cá por mim, felizmente, não tenho esses problemas. Basta ter algo na mão que as minhas pestes canídeas começam a salivar, sem sequer saberem do que se trata :)
De butterfly a 13 de Novembro de 2007 às 20:06
ri até me doer a barriga!excelente post! beijinhos
De sílvia a 20 de Novembro de 2007 às 18:22
Segurar o gato na nuca para ele perder a reacção e abrir a boca, e atirar-lhe o comprimido para a garganta... Fácil! conselho do veterinário, e resulta!
www.sunshine.blogs.sapo.pt

desancar shakermaker

Blog Widget by LinkWithin

»posts & blogjobs

» música menstrual

» o amor faliu

» dead man walking

» alive and kicking

» saudade amolece

» música para gente grisalh...

» penálti de cabeça #01

» café puro

» mais (es)perto da estupid...

» do caixão ao berço

» você bate no seu pc?!

» parebenizar & desvaloriza...

» bamboleo bambolea

» subindo paredes

» videoclip #05

» recycle bin

» saturday night sweat

» deixem-me em paz!

» working class hero

» a frase feita: o lugar-co...

» foram espinhos contra ros...

» há coisas que eu sei

» (quase) tudo sobre justiç...

» videoclip #04

» surrealizar por aí

» (com)postura corporal soc...

» todos juntos somos mais

» (quase) tudo sobre cortej...

» amor: um silêncio coniven...

» o cintilante não é brilha...

» a conspiração do semáforo

» as lesmas & as alfaces

» molhar as partes pudibund...

» presos pelo nariz

» dog bless america

» inferência das coincidênc...

» eu acredito no mosquito

» quem tem o gay na barriga...

» tira-nódoas vs tira-teima...

» um eco do prazer

» estou cansado de ser sexy...

» amor: reavivando a memóri...

» cosmética sexual #02

» cosmética sexual #01

» amor: brincando com o fog...

» cravados na mente

» o universo paralelo

» mistério do objecto invis...

» 7 e picos, 8 e coiso, 9 e...

» #33

»séquito & móinas

»insultar shakermaker

»feeds & não-sei-quê

»tags

» todas as tags