Quinta-feira, 5 de Julho de 2007

como ser infeliz no amor #02

 

Agora, e depois das dicas anteriores, é tempo de elevar (ou descer: consoante a perspectiva) a fasquia dos seus falhanços. Suponhamos que a dada altura, e pressionado pela urgência sexual – vulgo tesão – e não tendo ninguém à mão (para além de si, claro), o ser cobiçado lhe endereça mesmo assim um sinal assaz claro para que se aproxime dele(a). Que fará, então? Pois bem, sua criatura desagradável, não vai fazer absolutamente nada! Em primeiro lugar, é óbvio que terá feito todo o possível para ter um péssimo hálito. Ora, por certo, conservou desde há muito, um molar cheio de cáries. Assim como alguns restos de comida de anteriores refeições entre os seus caninos. Ainda que esteja mal preparado, e sendo bem surpreendido, com certeza terá trincado um punhado de cebolas cruas antes do seu encontro amoroso. Pelo que, e na iminência de estar prestes a receber um beijo, deve ainda assim corresponder ao mesmo. Não se apoquente, pois o facto de ter eriçado a língua em modo centrifugador, provocará certamente uma sensação de enjoo no seu parceiro(a). Noutro tipo de investidas, digamos mais sexuais, como por exemplo: meterem-lhe a mão por entre as pernas, não deverá entrar em pânico. Pelo contrário, relaxe e aproveite então para proferir frases obscenas.

 

Pode mesmo encarnar o estilo trovadoresco de Bocage. Assim, coisas do tipo: – Aposto como nunca sentis-te nada assim, minha carinha laroca; são sempre bem vindas. Também cai bem algo deste género: – Então é isto que queres, meu grande doidivanas; da mesma forma, parece-me apelativo. Diga todas estas frases românticas (e de gosto duvidoso) com voz rouca e cavernosa, pois só assim alcançará o efeito desejado. Isto para si, claro está, porque o principal objectivo é ser-se indesejado por outrem. Assim sendo, engonhe ou tergiverse e, caso seja necessário, envolva-se somente no amasso e no apalpão. Todavia, sempre sem degustar. Por outras palavras, não passe dos preliminares pois não é de todo esse o objectivo. Porém, e se por qualquer razão chegar a vias de facto, então não iremos fazer disso um bicho-de-sete-cabeças. OK, não era suposto acontecer mas agora já está e não há nada a fazer, pelo que passemos rapidamente à fase seguinte. Não dê bronca ao ponto de lhe transparecer no rosto que realmente gostou. Nem por sombras, livre-se imediatamente desse esgar! Comece de imediato a multiplicar os obstáculos. Por exemplo: diga que é pai de filhos, tantos quantos conseguir inventar os devidos nomes próprios, ou que tem uma esposa muito ciumenta.

 

Pode, por outro lado, dizer que também é deveras ciumento: passando logo a inquirir o seu parceiro(a) a respeito do número total de amantes deste(a), até à data. Seja paranóico, e preferencialmente ordinário, ao ponto de dizer que este(a) tem cara de papar tudo o que lhe aparece à frente. Eis que, muito provavelmente, chega a tão aguardada ruptura. O auge do desejado falhanço. Tranquilize-se, isto acontecerá sem mais delongas e muito mais depressa do que espera. É então altura para partir para o confronto final, num horror verbal ou até mesmo físico. Haja sempre de modo em que não seja de todo possível recuperar ou dessas feridas sarar. Depois de lavar toda a roupa suja, ou de apanhar a sua própria roupa no meio da rua, arranje maneira de sofrer desmesuradamente. Para isso, sugiro: passar sistematicamente por todos os sítios onde esteve com essa pessoa, a fim de auxiliar a sua memória afectiva na busca dum sofrimento ainda mais atroz. Aproveite essa oportunidade para chegar ao gemido, ao soluço, ao choradinho, ao fado, ou até ao poema. Mas, atenção: componha sempre um poema falhado! Depois de afogar as mágoas em tascas e andar aos caídos por vielas, restam-lhe três opções: um, celibato;  dois, outra orientação sexual; três, pode tentar ser infeliz no amor outra vez(!) 

 

Um abraço...

shakermaker

 

para ver: Spellbound » Peck / Hitchcock
para ouvir: Loverman por Nick Cave And The Bad Seeds em Let Love In
blogjob por shakermaker às 00:00

ISOLAR POST | DESANCAR POST | RECOLHER POST
18 LINCHAMENTOS:
De MB a 5 de Julho de 2007 às 00:17
Nunca pensei ser necessário tanto savoir faire, sim senhor. Mas eu acho que tinha um dom, não precisei de nada disto durante muito tempo...

gostei da agudeza de espírito, aliás é o que me arrasta aqui sempre.
Continue

um abraço

IpsaEgo
De Octávio Coutinho a 5 de Julho de 2007 às 00:17
Boas Shaker,

estava na página do Sapo e dei de caras com o teu blog no top. És assim mesmo, estás sempre no topo lol
Um gajo sai sempre daqui bem disposto e mais instruido com os teus conselhos eheheh

Fica bem, um abraço

O.C.
De papoila a 5 de Julho de 2007 às 00:25
Olá.

Destaque é destaque e este vale mesmo a pena!

Conheço a personagem, controverso é certo, mas com imsenso jeito para fazer os outros sorrir.

Sorri.
De Vitor Jobling a 5 de Julho de 2007 às 01:24
Oi Shaker!

Inteligente, mordaz, divertido - é assim o teu blog - aliás, BlogJob.

Ab
De noivo a 5 de Julho de 2007 às 02:43
shaker: isso é tudo vida acumulada? fiquei assustado com tamanha frieza de análise....abraço
De Social mas Light a 5 de Julho de 2007 às 08:58
Parabéns à equipa que destacou este exuberante espaço de ideias, porque ao autor, este está já destacado por mim.
Social mas Light
De touaqui42 a 5 de Julho de 2007 às 09:37
Uma boa opção essa de beber uns copos.
Dá para esquecer e ao mesmo tempo ajuda a economia do VINHO que ao que parece está de baixo astral.
Mas os teus conselhos são mais que aceitáveis para os dias de hoje.
Nem seria preciso conselhos alguns se acaso a VIDA fosse da COR DE ROSA.
De Marco a 5 de Julho de 2007 às 12:43
É sempre um gosto poder ver a vida assim. Gostei muito.

Afinal, ser infeliz dá trabalho, é preciso lutar muito para o conseguir!
;o)

Caro Shaker, sempre em grande nível!
Parabéns.
De Darksidemoon a 5 de Julho de 2007 às 12:53
Bem eu não vinha desancar-te mas acho que tens que inverter o discurso e colocar aí umas dicas de como ter sucesso no amor, daquelas que durem mais do que um mês ehehehe
Mas essas estão boas igualmente e muitas já postas em prática por muito boa gente. A parte do sofrimento é que é pior... como dizia uma das princesas que leio, manter as expectativas bem baixas é o segredo

Keep it up e ainda bem que gostaste da "verdura". Vou passar a olhar para ti como uma pessoa confiável eheheh

Beijinhos

Sue
De cigana a 5 de Julho de 2007 às 14:31
Parabéns pelo destaque!
Continuo a gostar de cá vir.

desancar shakermaker

Blog Widget by LinkWithin

»posts & blogjobs

» música menstrual

» o amor faliu

» dead man walking

» alive and kicking

» saudade amolece

» música para gente grisalh...

» penálti de cabeça #01

» café puro

» mais (es)perto da estupid...

» do caixão ao berço

» você bate no seu pc?!

» parebenizar & desvaloriza...

» bamboleo bambolea

» subindo paredes

» videoclip #05

» recycle bin

» saturday night sweat

» deixem-me em paz!

» working class hero

» a frase feita: o lugar-co...

» foram espinhos contra ros...

» há coisas que eu sei

» (quase) tudo sobre justiç...

» videoclip #04

» surrealizar por aí

» (com)postura corporal soc...

» todos juntos somos mais

» (quase) tudo sobre cortej...

» amor: um silêncio coniven...

» o cintilante não é brilha...

» a conspiração do semáforo

» as lesmas & as alfaces

» molhar as partes pudibund...

» presos pelo nariz

» dog bless america

» inferência das coincidênc...

» eu acredito no mosquito

» quem tem o gay na barriga...

» tira-nódoas vs tira-teima...

» um eco do prazer

» estou cansado de ser sexy...

» amor: reavivando a memóri...

» cosmética sexual #02

» cosmética sexual #01

» amor: brincando com o fog...

» cravados na mente

» o universo paralelo

» mistério do objecto invis...

» 7 e picos, 8 e coiso, 9 e...

» #33

»séquito & móinas

»insultar shakermaker

»feeds & não-sei-quê

»tags

» todas as tags