Segunda-feira, 2 de Julho de 2007

os jovens idealistas

 

Todos dizem que preferem soluções pacíficas, mas isso é mesmo próprio de quem lê romances demais. Então revoltam-se nos cafés e fazem discursos pelos bares, e estão absolutamente convictos que o mundo é realmente deles.

Os jovens idealistas, continuam acreditando que podem fazer essa diferença.

 

Os jovens idealistas pensam que tudo vem escrito nos livros e que um governo se forma com os amigos. Mas uma revolução não se faz com a letra duma canção nem as manifestações influenciam assim decisões. Porque não basta querer ser-se diferente quando nem sabemos como é ser igual a toda a gente.

 

Eles têm sonhos utópicos e manifestos económicos, mas é difícil ser-se livre quando ainda vivem com os pais. Então preparam uma revolta no computador portátil e acham mesmo que o mundo cabe dentro do telemóvel. Os jovens idealistas, continuam a acreditar que podem mesmo tomar a Bolsa de assalto.

 

Os jovens idealistas ficam bem numa montra duma loja, tal como se fossem mais uma moda passageira. E chega uma altura que têm de escolher, mas é bem mais confortável viverem sem se aborrecer. E as reuniões académicas serão sempre recordadas em fotos de câmaras digitais compradas pelos pais.

 

Mas um dia trocam as calças de ganga pelos fatos de linho, e o autocarro por um automóvel de alta cilindrada. Então, o Che torna-se um revolucionário de ficção e Fidel num comandante sem razão. Agora, finalmente percebem que tudo aquilo em que acreditavam era próprio dessa idade: os jovens idealistas.

 

Um abraço...

shakermaker

 

para ver: The Outsiders » FrancisCoppola
para ouvir: The Drowners por Suede (1993)
blogjob por shakermaker às 00:00

ISOLAR POST | DESANCAR POST | RECOLHER POST
8 LINCHAMENTOS:
De shelyak a 2 de Julho de 2007 às 12:26
É a fase da vida em que se julga que tudo gira à nossa volta e não o inverso; em que se julga possuir o dom da sabedoria e certezas absolutas; em que se é, literalmente, dono do mundo e que este deveria agradecer o facto de terem nascido...

Engraçado - e como disseste no comentário que me deixaste - o termos andado por caminhos parecidos, em termos de reflexões, este fim-de-semana.
Para além das Reflexões de sábado à noite que viste, fiz um outro, umas horas antes, "Não comer do mesmo prato", dentro da mesma linha mas mais virado para a nossa recusa em pactuar com o tema do teu post e similares... o texto não é meu mas não resisti a transcreve-lo pois é algo que me acompanha já há muito tempo...

Um abraço para ti e belo fim-de-semana...:)
De dhyana a 2 de Julho de 2007 às 14:44
Leio-lhe sempre e as vezes não comento porque normalmente diz tudo!
Quanto ao prémio, nunca elogio ninguém sem ter motivos para tal e o seu blog merece elogios, merece ser premiado; porque aborda os assuntos com a arrogância de um sábio e inteligência dos ousados.
Gosto disso, de pessoas ousadas.
Quanto a este último post, o assunto mexeu tanto comigo que não me atrevi a "inundar-lhe" o blog com um extenso comentário, então escrevi no meu.
Abraços...
De Hugo Filipe a 5 de Julho de 2007 às 17:31
Esqueces-te que no meio de tanta "idealidade" existe uma busca pelo que dever feito...pelos valores morais...e no meio da "canalhada" existem os que mais tarde vieram ou virão mudar o mundo! Não interessa se o che era um comuna...não interessa se falhou redondamente em todas as tentativas depois de cuba...interessa o valor moral da história: Um rapaz de uma família rica de Buenos Aires, numa altura em que a Argentina estava manifestamente em ascensão devido ao Peronismo, com um curso de medicina, que decide abdicar de tudo para lutar pelo que achava que estava certo...pelos seus ideais (independentemente da sua génese politica!).
Também não é a primeira vez que se muda o mundo com uma letra de uma música...com um cartaz...com um gesto ou uma mera atitude que desafiava todos os parâmetros da sociedade! Creio que na altura todos apelidavam Martin Luther King, Ernesto Guevara ou (porque não?) aos opositores ao Estado Novo precisamente isso: utópicos. Convenhamos que se não fossem eles muita história ficava a metade...
Não podemos menosprezar o direito e a virtude de um jovem ser um idealista porque isso não vai significar (nunca!) que são ingénuos! Pelo contrário: São os mais conscientes...não vacilaram perante as quedas da vida (ainda que por muito pequenas sejam nessa idade), não se tornaram descrentes e tentam apelar ao que TODOS fomos um dia: "utópicos"!
Porque todos passamos por essa fase...mas, como tu mesmo referis-te, mais vale escondermo-nos medrosamente no óptimo mundo que é um blog...onde tudo e todos é como nós queremos....desdenhando de quem acredita realmente no que faz...
Julgo que o principal problema no mundo, nomeadamente em Portugal, é a perda do sentimento de justiça! A decrescente e descrente consciência moral! E, quando a consciência nos roí e tortura, dá-mos uma esmola a um pobre e tudo passa....sem nunca nos interrogar-mos se realmente a pobreza antes de um problema económico ou um cancro social...não é, antes de mais, um sinal de uma sociedade que à muito perdeu o seu rumo.
Sim, eu sei estão a pensar "já ouvi isto muitas vezes" ou "também já pensei assim antes de me tornar um poeta de blog's!". Mas mais uma vez escapa-vos as questões essenciais..."quando foi a última vez que eu lutei pelo que estava certo?"..."quando foi a última vez que acreditei em mim mesmo...que acreditei que conseguia mudar o mundo?".
Infelizmente...já são poucos os que acreditam, como eu, que o mundo de facto tem que mudar...tem que caber num telemóvel...
Abraços orgulhosamente Idealistas! Hasta la vitoria, Siempre!
De Social mas Light a 2 de Julho de 2007 às 15:49
Caro Shakermaker,
Esta geração é o espelho duma infância diferente, pelo que vêm a vida noutra prespectiva.
Estes são os que nunca foram sózinhos a pé para a escola. Que só aos 18 andaram sós de transportes públicos e que nunca rebolaram na relva só pelo prazer de se sujar e sentir o cheiro.
Estes são o fruto de não saberem o que é brincar na rua e molhar os pés nas poças de água.
Boa semana
Social mas Light
De XNP a 2 de Julho de 2007 às 17:15
Caro Mano, quem perde o idealismo deixa de parte a grandeza da nossa Alma; acho que era a Avó que dizia esta citação como se fosse dela, lolololol.... olha, só para dizer que te visito de quando em vez, mas estás sempre a dormir :-) e normalmente bem acompanhado. See you, soon ! PS- já viste como é engraçada a blogosfera? Depois de sei lá quanto tempo sem cá pôr os pés 120.000 visitas???!!!! Crazy World.
De NaoSouEu a 2 de Julho de 2007 às 17:24
Ora, aí está!!! O idealismo é uma face da juventude, que julga que nunca há-de chegar a velho, porque o tempo é demasiado passivo com eles... (nós sabemos isso, porque já vivemos a juventude das idades, em que para se fazer 16 anos, parecia uma eternidade, os 18 anos pior que uma eternidade, e a maioridade, os tais 21 anos pareciam nunca mais ver o fundo do tunel... queriamos isso porque julgavamos que iriamos mudar o mundo... revoltar contra as leis, quer do estado, dos pais, do grupo...)
Quando chegamos à barreira dos trinta anos, o mundo começa a mudar de cor, o ideal fica colocado na prateleira, porque não temos bagagem suficiente para defendê-los, porque o medo instala-se, porque apercebe-se que não adianta dar um soco na sociedade e mudá-la... etc etc etc...
Os jovens estão certos, mas tem as ferramentas verdes, e a sociedade por ser um LOBO consegue manobrar os seus cordeiros... Foram raros os idealistas que mudaram o mundo e se mantiveram no caminho sempre lutando por aquilo que ousaram ser a verdade, e esta verdade era de liberdade, não só para os próprios, mas para todos.
O mal da juventude é perder a sua identidade própria para servir à sociedade, esquece se salvaguradar os seus valores essenciais e adultera-os para servir a algo que nunca o libertará... e institiu-lhe algo: " Nasces, consomes e morres...!!!"
São raros os grupos juvenis que se mantem coesos na idade adulta, porque ao chegar ao nono ano, começa a dispersão e findo o 12 ano, mais se aprofunda a distancia e dispersão; com eles morre a unidade de grupo e os ideiais e toma-se consciencia que tudo morre, mas a maior parte renega isso e prefere dizer: "Não prestava!!"

O idealismo tem tantas facetas, há quem sonhe que roupas de marcas pode devolver toda a atenção de certo grupo, que pode influenciar as conquistas amorosas... há quem pense que se tiver tudo o que quiser que será amado, conseguirá ter poder sobre os outros e fazê-los submeter os seus designios...

As mulheres, por exemplo não param de idealizar um homem de sonho, e um homem de sonho feito à sua medida e muitas vezes esse ideal só morre quando aparece um monte de sapo e começa a aperceber que a vida não devolve o seu sonho... por isso muitas vezes as mulheres se tornam bichos, deprimentes, exotam tudo o que é homem... e pior deixam morrer uma parcela da esperança do homem que idealizavam e acabam por se converter a um relacionamento que nada corresponde ao que esperavam...

Vive-se numa sociedade de pessoas resignadas, é isso que o estado adulto trás, quando o idealismo morre, os sonhos não são realizados... Daí o uso da máscara que todos nós praticamente usamos, e ainda usamos aquele sorriso de que somos felizes ao máximo e que temos a vida que escolhemos... Sim, escolhemos, mas escolhemos com as oportunidades que a vida doou, e não com o que realmente se queria...

Por isso a obsessão por certas figuras da história, a sucessiva investigação sobre a mesma para que de algum modo se absorva o arquétipo para dessa forma se sair desta sociedade que coloca laços enfeitados ao pescoço, mas que os aperta para não se ter voz!!!

(meu deus que lenga-lenga a minha...)
Um abraço
De Teixeira a 5 de Julho de 2007 às 12:09
Tens alguma razão, contudo não posso concordar com tudo o que disseste pois a tua opinião é demasiado generalista. Ainda assim também eu vou aqui deixar um comentário...generalista...

Os ideais devem fazer parte de todos, sejam eles jovens ou velhos. Não existe idade para se ser um idealista, pois é na maturação dos nossos ideais que estes se tornam cada vez mais sólidos.

O uso de icones não pertence a esse estado de maturação a que me referi.

De qualquer das formas, a verdade é que aqueles que não tem ideais políticos são secos e vazios no seu interior e não compreendendo os outros que tomam posições, fecham-se em si próprios julgando que são os unicos que sairam da "caverna de platão"...na realidade as sombras não são mais do que a sua triste vivência pois alhearam-se de tentar mudar o mundo nem que seja pela utilização da sua voz. São os NÃO idealistas que ainda permanecem nessa caverna de sombras.

Deixar-se aprisionar por um estado neo-liberal é mais perigoso do que qualquer jovem que veste uma camisola do Che. Prefiro um jovem da esquerda caviar do que outro que se identifique com a direita pouco conscienciosa do estado social. Os alvos das criticas devem ser aqueles que se alheiam de ideais - esses sim, estão minados pela ignorância do estado das coisas e cada vez mais se tornaram uma maioria pouco silênciosa.

Abraço
[[]]
De Luciano Cardoso a 25 de Setembro de 2008 às 06:53
Estamos em uma época onde as palavras não dizem
verdadeiramente nada.
Talvez pelo não compromisso com aquilo que se fala.
Talvez por 'terem' passado para nós - expectadores
da viva - palavras sem essência de conteúdo.
...
Será que POLÍTICA é o que vemos por ae?
Será que AMOR é o que sentimos e falamos
que sentimos por outrem?
Será RELIGIÃO isso que se apresennta em todas
as esquinas. Ganham dinheiro 'vendendo' 'correntes para almas'...
Será LIBERDADE...?
Será JUSTIÇA...?
Será ARTE...?
Será...?
...
Queridos camaradas, que navegam nesse barco
sem 'timoneiro' (incluo eu), nesse belo teatro...
...
IDEALISTAS!
Talvez, o mundo só exita ainda, porque existe idealistas.
Agora, sejamos sinceros conosco mesmo:
Sabemos verdadeiramente o que é ser IDEALISTA?
Assim como na escala evolutiva, existem os reinos:
mineral, vegetal, animal, humano, heróis, deuses e
tantos outros mais, também entre os humanos, deve haver alguma hierarquia.
Concordam? Creio eu que sim.
...
...
...
deuses.
Sábios.
Iniciados.
Mestres.
Discípulos.
Idealistas.
Homem com valor.
homem comum.
homem vulgar.
reino animal
...
...
...
Ser idealista, exige um pouco de esforço.
homem comum: casa, trabalha, come, transa,
dorme, trabalha, come, transa, dorme...
Homem com H maiúsculo, sabe de onde veio,
onde está e para onde quer chegar.
IDEALISTAS...
Talvez, só por causa deles, esse mundo ainda
sobreviva...


desancar shakermaker

Blog Widget by LinkWithin

»posts & blogjobs

» música menstrual

» o amor faliu

» dead man walking

» alive and kicking

» saudade amolece

» música para gente grisalh...

» penálti de cabeça #01

» café puro

» mais (es)perto da estupid...

» do caixão ao berço

» você bate no seu pc?!

» parebenizar & desvaloriza...

» bamboleo bambolea

» subindo paredes

» videoclip #05

» recycle bin

» saturday night sweat

» deixem-me em paz!

» working class hero

» a frase feita: o lugar-co...

» foram espinhos contra ros...

» há coisas que eu sei

» (quase) tudo sobre justiç...

» videoclip #04

» surrealizar por aí

» (com)postura corporal soc...

» todos juntos somos mais

» (quase) tudo sobre cortej...

» amor: um silêncio coniven...

» o cintilante não é brilha...

» a conspiração do semáforo

» as lesmas & as alfaces

» molhar as partes pudibund...

» presos pelo nariz

» dog bless america

» inferência das coincidênc...

» eu acredito no mosquito

» quem tem o gay na barriga...

» tira-nódoas vs tira-teima...

» um eco do prazer

» estou cansado de ser sexy...

» amor: reavivando a memóri...

» cosmética sexual #02

» cosmética sexual #01

» amor: brincando com o fog...

» cravados na mente

» o universo paralelo

» mistério do objecto invis...

» 7 e picos, 8 e coiso, 9 e...

» #33

»séquito & móinas

»insultar shakermaker

»feeds & não-sei-quê

»tags

» todas as tags