Segunda-feira, 14 de Maio de 2007

há sexo no riso

 

As mulheres gostam de homens que as façam rir. Enquanto isto, os homens pensam que fazer rir uma mulher é meio caminho andado para as levar para a cama. Rir é, por si só, um prazer, admitamo-lo… Mas daí transformá-lo num bilhete de acesso a outras formas de prazer, ainda vai um bocado. Contudo, é sabido que um homem aumenta as suas probabilidades de seduzir uma mulher se a fizer rir. Porque o riso é, acima de tudo, um instrumento de sedução masculina e são sobretudo os homens que fazem rir as mulheres.

 

Decerto não é por acaso… Tão pouco é por acaso que quase todos os homens detestam ver a sua mulher rir na companhia doutro homem. Não tenho dúvidas: há sexo no riso. Porém, uma mulher deve rir com um homem, e não dele. Toda a mulher que ri torna-se cúmplice do homem que desencadeou o riso. Ao fazê-lo, está a proteger-se da possibilidade de ela própria se tornar num objecto de riso. O que não deixa de ser uma forma de aliança com um dominante. Por vezes, o riso actua como uma libertação de energias, tanto positivas como negativas, numa descompressão que nos dá imenso prazer.

 

E as mulheres sabem-no e por isso estão sempre predispostas a fazerem-se acompanhar ou a deixarem-se abordar por homens que lhes despoletem sorrisos, ainda que contidos. Sim, porque o riso não é apenas uma expressão sonora incontrolada pois às vezes rimo-nos para dentro. Contudo, se realmente acharmos piada a uma chalaça contada, dificilmente nos conseguimos conter por muito tempo e soltamos uma grande gargalhada a qualquer momento. No inconsciente duma mulher que ri, pode haver um raciocínio deste tipo: se este homem é capaz de desencadear em mim uma reacção como esta, talvez possa proporcionar-me outras formas de prazer.

 

Bem vistas as coisas, se analisarmos o aspecto sonoro duma gargalhada verificamos que é em tudo semelhante à fonética dum orgasmo. Uma mulher que reage com um << Ah–Ah–Ah >> a uma piada dum homem, pode estar a sugerir que também pode emitir um << Ah–Ah–Ah >> num possível orgasmo com esse mesmo homem. É claro que esta conclusão só poderia ser congeminada na mente dum homem e as mulheres, inteligentes como são, sabem-no perfeitamente. O riso evoca o sexo mas o sexo também evoca o riso. Por exemplo, quando fazemos amor, o sexo pode não ser tão divertido como as piadas que nos proporcionaram estarmos nessa mesma situação.

 

Imaginemos que o nosso parceiro se escangalha a rir durante o acto sexual. Dá cabo da atmosfera, não é? Pois é, podemos não achar piada nenhuma ao que o outro acha piada. Isto porque, durante a sedução, o riso aproxima os dois seres que se lhe entregam. Durante o acto sexual, porém, afasta-os. Talvez porque una dois seres à custa dum terceiro. No amor, estamos sós, a dois. Mas no humor, somos três, com o “objecto” do qual troçamos. Em primeiro lugar, isso distrai-nos do sexo. Além disso, o terceiro de que nos rimos corre o risco de ser a nossa própria pessoa. E isso não é bom, mesmo nada bom, pois uma mulher que se ri na nossa cama é sempre mau sinal.

 

Um abraço...

shakermaker

 

para ver: BreakingAndEntering » Jude Law
para ouvir: That Joke Isn`t Funny Anymore » The Smiths » Meat Is Murder
blogjob por shakermaker às 00:00

ISOLAR POST | DESANCAR POST | RECOLHER POST
7 LINCHAMENTOS:
De cigana a 14 de Maio de 2007 às 01:17
Genial! Uma abordagem curiosa e interessante de um tema sedutor.
Eu não disse que este blog me fazia pensar?
O riso tem sexo, sem dúvida, mas tem razão quando diz que o inverso não se verifica excepto como preliminar...
Convenhamos que é difícil levar a sério o sexo se estivermos sempre a rir!
De nena a 14 de Maio de 2007 às 09:18
AH..AH..AH.AH.AH.AH.AH.AH.AH.AH.AH.AH...
De Marisa a 14 de Maio de 2007 às 14:37
Caro Shakermaker,
Adorei este seu texto, aliás apesar de não o expressar sonoramente, muito me ri eu com tão fantástico escrito.
Mas entretanto fiquei preocupada, é que eu sou mulher pra rir e mesmo gargalhar, durante o acto de amar, porque ambos me fazem sentir muito bem, entenda-se o riso e o sexo, e rio de mim, de felicidade, de com quem me partilho.
É dos maiores prazeres que tenho, gargalhar, é das coisas que mais aprecio, a capacidade de sorrir de nós próprios.
Olhe uma gargalhada para si...
Marisa
De KI a 14 de Maio de 2007 às 17:18
Na verdade não sei se concorde...se sorria :) Mas há algo de sublime na partilha de um e de outro, e quando rimos com alguém é fantástico sim, mas e se rimos com gente do mesmo sexo? É melhor não concordar consigo e dizer que há sexo no riso, porque eu tamb´m rio com mulheres.

Quando nos sentimos felizes, seja a sorrir, seja em qualquer outro aspecto, a partilha multiplica esse estado de alma, concorda?

Até breve :)
De Morgaine a 14 de Maio de 2007 às 17:43
o riso igual ao som emitido no orgasmo? deixa-me rir agora.. ainda quero ver quantas mulheres dizem ahahaha nessas alturas cruciais em que até se nos corta a respiração e a fala.. rir na cama é outra história. Rir no sexo é ainda outra. Significa que se está a gostar e não a gozar com o parceiro. A menos que este faça caretas engraçadas ahahah então, nem te conto.. poooçaaaa isto torna-se demasiado personel capice?
De soluana a 17 de Maio de 2007 às 19:21
o riso é a fenda que falta na humanidade.
Quanto a sexualidade se for levada a sorrir é um sucesso.
PARABENS pelo blog:)
De Blogadinha a 9 de Julho de 2007 às 16:35
"No inconsciente duma mulher que ri, pode haver..."

- a curiosidade masculina pela motivação do acto, nunca descortinada apesar das tentativas...

Há maior cumplicidade na banalidade de um olhar do que numa "risada"... por mais sedutora ou maliciosa que seja.

Parabéns pelo blog!

desancar shakermaker

Blog Widget by LinkWithin

»posts & blogjobs

» música menstrual

» o amor faliu

» dead man walking

» alive and kicking

» saudade amolece

» música para gente grisalh...

» penálti de cabeça #01

» café puro

» mais (es)perto da estupid...

» do caixão ao berço

» você bate no seu pc?!

» parebenizar & desvaloriza...

» bamboleo bambolea

» subindo paredes

» videoclip #05

» recycle bin

» saturday night sweat

» deixem-me em paz!

» working class hero

» a frase feita: o lugar-co...

» foram espinhos contra ros...

» há coisas que eu sei

» (quase) tudo sobre justiç...

» videoclip #04

» surrealizar por aí

» (com)postura corporal soc...

» todos juntos somos mais

» (quase) tudo sobre cortej...

» amor: um silêncio coniven...

» o cintilante não é brilha...

» a conspiração do semáforo

» as lesmas & as alfaces

» molhar as partes pudibund...

» presos pelo nariz

» dog bless america

» inferência das coincidênc...

» eu acredito no mosquito

» quem tem o gay na barriga...

» tira-nódoas vs tira-teima...

» um eco do prazer

» estou cansado de ser sexy...

» amor: reavivando a memóri...

» cosmética sexual #02

» cosmética sexual #01

» amor: brincando com o fog...

» cravados na mente

» o universo paralelo

» mistério do objecto invis...

» 7 e picos, 8 e coiso, 9 e...

» #33

»séquito & móinas

»insultar shakermaker

»feeds & não-sei-quê

»tags

» todas as tags