Sexta-feira, 23 de Fevereiro de 2007

os putos #02

 

Quando não andávamos a passear de bicicleta ou a jogar à bola, íamos para junto do nosso vizinho Ramiro. Habitualmente, ele costumava estar na sua garagem, que também era o seu atelier. O Ramiro era artista plástico, entre outras coisas, pois se bem me lembro na altura era bancário. Ele do lado de lá do muro e nós no lado de cá, costumávamos meter conversa com ele para que nos deixasse espreitar o que fazia no atelier. O Ramiro era um fulano engraçado e divertia-nos imenso com as suas brincadeiras. Contava histórias, anedotas e estava sempre a gozar connosco. Literalmente, sempre a gozar connosco. Na altura, não teríamos mais de seis ou sete anos, eu e o Mário. Então, por vezes, o Ramiro pedia-nos para lhe fazermos um recado. Ora pedia que fossemos comprar A Bola ou o Correio da Manhã, ou simplesmente para lhe trazermos qualquer coisa do minimercado. Compensava-nos com uma nota de vinte escudos. Uma nota das verdes, como eu e o Mário lhes chamávamos. Normalmente, pedia ao Mário para lhe trazer um qualquer produto de mercearia, enquanto eu ficava incumbido de trazer um litro de electricidade em pó. O Ramiro fazia sempre questão de me lembrar do seu pedido... – Não te esqueças, um litro de electricidade em pó. E eu acenava-lhe que sim, claro que não me ia esquecer. Então, lá íamos nós directos ao minimercado, cada um com a sua tarefa e sempre a pensar no que iríamos comprar para nós com a nota de vinte escudos da nossa gorjeta. Quando chegava a minha vez de ser aviado, ficava sempre surpreendido com a reacção de quem me atendia. Diziam-me com ar de gozo... – Foi o Ramiro que te mandou pedir isso? Ele está apenas a gozar contigo! Quando voltava para junto do Ramiro e lhe contava o sucedido, ele nunca se descaía... – Não havia electricidade em pó, nem sequer um litro? Bom, voltas lá amanhã, pode ser que já haja. No dia seguinte, lá estava eu outra vez, e sempre convicto do que estava a pedir... – Boa tarde, queria um litro de electricidade em pó s.f.f.

 

Um abraço...

shakermaker

para ver: SmokinAces » A.Garcia/R.Liotta
para ouvir: The Bewlay Brothers por David Bowie em Hunky Dory
blogjob por shakermaker às 00:00

ISOLAR POST | DESANCAR POST | RECOLHER POST
5 LINCHAMENTOS:
De Zuco a 23 de Fevereiro de 2007 às 01:46
Mr Shaker,

Continuarei a ver os seus textos, seja zuco ou outra coisa qualquer.

Foi um prazer!

Oloais si gude moves
De Mariana a 23 de Fevereiro de 2007 às 11:12
Um hino à ingenuidade das crianças. Desejos de que a capacidade de acreditar se mantenha nos adultos. Eu ainda acredito que se pode comprar electricidade em pó :-).
De noivo a 23 de Fevereiro de 2007 às 12:59
Oi, o tempo não tem sido muito e só agora pude visitar-te mas prometo voltar!
De Diana a 24 de Fevereiro de 2007 às 18:18
Parece-me que o Sr Shaker anda muito nostalgico... a recordar a infancia. Não que não goste acho k as memorias que temos da infancia sao as mais magicas mas geralmente lembramo-nos mais delas qdo temos saudade de algo. Beijo
De niki a 25 de Fevereiro de 2007 às 10:40
ahahahahahahaha
que saudades!!! o meu pai sempre que faltava a luz pedia-me que fosse comptrar electricidade em pó... ainda fui duas ou três vezes á procura!!

quando chovia também me costumaba dizer:
"vai lá fora depressa ver se me estou a molhar!"

Bom resto de fim de semana!!

desancar shakermaker

Blog Widget by LinkWithin

»posts & blogjobs

» música menstrual

» o amor faliu

» dead man walking

» alive and kicking

» saudade amolece

» música para gente grisalh...

» penálti de cabeça #01

» café puro

» mais (es)perto da estupid...

» do caixão ao berço

» você bate no seu pc?!

» parebenizar & desvaloriza...

» bamboleo bambolea

» subindo paredes

» videoclip #05

» recycle bin

» saturday night sweat

» deixem-me em paz!

» working class hero

» a frase feita: o lugar-co...

» foram espinhos contra ros...

» há coisas que eu sei

» (quase) tudo sobre justiç...

» videoclip #04

» surrealizar por aí

» (com)postura corporal soc...

» todos juntos somos mais

» (quase) tudo sobre cortej...

» amor: um silêncio coniven...

» o cintilante não é brilha...

» a conspiração do semáforo

» as lesmas & as alfaces

» molhar as partes pudibund...

» presos pelo nariz

» dog bless america

» inferência das coincidênc...

» eu acredito no mosquito

» quem tem o gay na barriga...

» tira-nódoas vs tira-teima...

» um eco do prazer

» estou cansado de ser sexy...

» amor: reavivando a memóri...

» cosmética sexual #02

» cosmética sexual #01

» amor: brincando com o fog...

» cravados na mente

» o universo paralelo

» mistério do objecto invis...

» 7 e picos, 8 e coiso, 9 e...

» #33

»séquito & móinas

»insultar shakermaker

»feeds & não-sei-quê

»tags

» todas as tags