Segunda-feira, 5 de Fevereiro de 2007

a sua presença

 

Costuma-se dizer que fulano tal teve uma morte digna ou que certo beltrano se comportou com dignidade na hora da morte. Pois eu prefiro pensar que alguém teve uma vida digna no meio dos vivos até chegar a sua hora de fazer companhia aos mortos. Ou mesmo que viveu condignamente até morrer. É comum também  dizer-se que alguém que partiu nos faz muita falta. Mas para mim, mais do que sentir muito a falta de alguém, prefiro sentir a presença constante dessa pessoa que nos deixou. Além disso, as pessoas não nos abandonam, apenas não estão mais do nosso lado. Fisicamente, falando. Estão agora no nosso pensamento ou pairando sobre a nossa mente, estão constantemente a vir-nos à memória como se o corpo também estivesse presente. Não há forma de lidar com a morte sendo esta inevitável mesmo que tenhamos a capacidade de tornar o fim como adiável. Creio que não há homenagem possível para quem falece, contudo acredito que quem guardamos num lugar especial no coração não precisa duma cerimónia de admiração. Quem fica recorda sempre quem parte e quem parte jamais será esquecido pelos que o recordam. Sim, quem ama sente-o para sempre e quem gosta vai sempre continuar a gostar. Perdi um amigo, que embora não seja de longa data, é como se continuasse amigo desde então para sempre. Há pessoas que nos fazem falta e há pessoas que fazem falta aos outros. Porém, há também pessoas que fazem falta a toda a gente porque todos precisamos que hajam pessoas assim. Este amigo que partiu faz-me falta a mim, faz muita falta aos outros e faz-nos falta a todos. Eu sei que ainda há por aí muita gente como ele, muita gente especial assim. Embora mesmo não os conhecendo, apraz-me saber que existem pessoas que fazem tanta falta a alguém como este amigo me faz falta a mim. Pessoas de quem sentimos falta mas que apesar de partirem continuam presentes na nossa vida. Sabe amigo, um jantar naquela mesa não é a mesma coisa sem que esteja no seu lugar. Tal como uma partida de futebol sentado naquele sofá não tem de longe nem de perto a mesma piada sem que esteja ali ao lado. Mas também nada disto me ocorre só por sentir a sua falta pois a constante sensação da sua presença permite-me recordar muitos dos bons momentos passados como se continuasse aqui. Foi pouco tempo mas contudo suficiente para gostar de si.

 

Um abraço...

shakermaker

 

para ver: FlagsOfOurFathers » C.Eastwood
para ouvir: Waiting On A Friend por The Rolling Stones em Tattoo You
blogjob por shakermaker às 00:00

ISOLAR POST | RECOLHER POST
Blog Widget by LinkWithin

»posts & blogjobs

» música menstrual

» o amor faliu

» dead man walking

» alive and kicking

» saudade amolece

» música para gente grisalh...

» penálti de cabeça #01

» café puro

» mais (es)perto da estupid...

» do caixão ao berço

» você bate no seu pc?!

» parebenizar & desvaloriza...

» bamboleo bambolea

» subindo paredes

» videoclip #05

» recycle bin

» saturday night sweat

» deixem-me em paz!

» working class hero

» a frase feita: o lugar-co...

» foram espinhos contra ros...

» há coisas que eu sei

» (quase) tudo sobre justiç...

» videoclip #04

» surrealizar por aí

» (com)postura corporal soc...

» todos juntos somos mais

» (quase) tudo sobre cortej...

» amor: um silêncio coniven...

» o cintilante não é brilha...

» a conspiração do semáforo

» as lesmas & as alfaces

» molhar as partes pudibund...

» presos pelo nariz

» dog bless america

» inferência das coincidênc...

» eu acredito no mosquito

» quem tem o gay na barriga...

» tira-nódoas vs tira-teima...

» um eco do prazer

» estou cansado de ser sexy...

» amor: reavivando a memóri...

» cosmética sexual #02

» cosmética sexual #01

» amor: brincando com o fog...

» cravados na mente

» o universo paralelo

» mistério do objecto invis...

» 7 e picos, 8 e coiso, 9 e...

» #33

»séquito & móinas

»insultar shakermaker

»feeds & não-sei-quê

»tags

» todas as tags