Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2007

pa-ta-ti pa-ta-ta #01

 

- Está fresco!

 

- Desculpe, não percebi.

 

- Estava a dizer que está fresco.

 

- Está fresco?!

  Mas o que é que está fresco?

 

- O quê, não me é conveniente dizer...

  Mas que deve fazer fresco, lá isso deve.

 

- Olhe, não estou a achar piada nenhuma a sua conversa.

  Por isso, agradeço que não me incomode mais.

 

- Tudo bem, desculpe, não foi essa a minha intenção.

  Apenas não me ocorre outra forma de o dizer...

 

- Mas dizer o quê?

 

- Que está fresco.

 

- Está a gozar com a minha cara?

  Fique sabendo que não estou para aturá-lo!

  Não nos conhecemos, pois não?

  Então, fique sossegado no seu canto e deixe-me em paz.

 

- Pronto, não se fala mais nisso.

 

- Acho bem, até porque a conversa já me está a cheirar mal.

 

- Bem, a mim não me cheira a nada, apenas reparei que está fresco.

  Ou melhor, se calhar até nem está assim tão fresco...

  Creio que doutra forma tinha-se apercebido.

 

- Mas você é bom da cabeça?!

  Do que é que me tinha apercebido?

 

- Que está fresco.

 

- Com licença, vá chatear outra!

 

Um abraço...

shakermaker

 

É deveras complicado alertar uma mulher de que esta tem a braguilha aberta.

Aliás, muito aberta. Ou melhor ainda, toda aberta! Afinal, até nem estava fresco...

 

para ver: Babel » B. Pitt / C. Blanchett
para ouvir: Wild Horses por The Rolling Stones em Sticky Fingers
blogjob por shakermaker às 00:00

ISOLAR POST | DESANCAR POST | RECOLHER POST
8 LINCHAMENTOS:
De Cláudia Oliveira a 24 de Janeiro de 2007 às 11:09
Ahm??? Tá calor.
De luna a 24 de Janeiro de 2007 às 12:27
Tchiiii

Vejo que continua fresquinho!!! (ou será que a dona da braguilha aberta era loira?!)

Ai que mauzinho Shaker!!

;)
De Maeve a 24 de Janeiro de 2007 às 15:14
E porque não dizer:
Desculpe minha Senhora mas tem a braguilha aberta.
E pronto!
Problema resolvido.
Abraço.
De Kitty a 24 de Janeiro de 2007 às 21:23
A menina tinha calor e não há ar condicionado portátil, o caríssimo Shaker podia ter sido mais óbvio, quem sabe ela até precisava dumas mãos fortes para...para apertar as calças claro!!

Voltarei...
De cigana a 24 de Janeiro de 2007 às 22:13
Já me aconteceu a mim, e pensar vagamente porque é que toda a gente olhava para mim com um ar estranho... Depois fiquei furiosa por nem sequer os meus colegas me terem dito nada, e eu ali, ao fresco, com cara de parva...
De Zé Pedro a 25 de Janeiro de 2007 às 00:36
Fresquinho, fresquinho...Ganda maluco Amigo...

Eu abordaria a questão de outra maneira, do género... " Então o Pipi fugiu, foi ? "

Abraços do Catano
De NãoSouEuéaoutra a 25 de Janeiro de 2007 às 01:24
Está giro. Cá comigo, vou logo directa ao assunto. Regra geral, primeiro rio e depois saio disparada em direcção ao assunto e digo: que tal fechar a sua braguilha, parece que tem a sua santidade a constipar-se. (à conta disto já me ri muito.)
Mas, voçê ultrapassa os limites. Sempre a fazer rir.
Um abraço
De Mariómaniaco a 25 de Janeiro de 2007 às 02:25
Nós somos mesmo toscos nestas coisas.
Um dia fui finalmente jantar com uma Maria tão mas tão boa que estava meio nervoso. A meio do jantar fui aliviar os nervos e esqueci-me de apertar a braguilha. Sentei-me à mesa e o jantar correu muito bem mas comigo sempre nervoso dada a qualidade da Maria. No fim do jantar, quando nos levantámos, ela virou-se para mim e disse:
- Olha, não queremos dar espectáculo pois não?
- Não, hoje não estou para aí virado, apetecia-me mais...
Quando dou por mim, a Maria que todos queriam curtir, estava agarrada à minha braguilha a fechar os botões com uma tranquilidade desarmante.
Simples han?
Mais tarde, já mais manso, perguntei-lhe:
- Se tivesse sido ao contrário, se tivesse sido eu a mexer na tua braguilha?
- Bem nem imaginas o espectáculo que teriamos dado!
Simple han?

desancar shakermaker

Blog Widget by LinkWithin

»posts & blogjobs

» música menstrual

» o amor faliu

» dead man walking

» alive and kicking

» saudade amolece

» música para gente grisalh...

» penálti de cabeça #01

» café puro

» mais (es)perto da estupid...

» do caixão ao berço

» você bate no seu pc?!

» parebenizar & desvaloriza...

» bamboleo bambolea

» subindo paredes

» videoclip #05

» recycle bin

» saturday night sweat

» deixem-me em paz!

» working class hero

» a frase feita: o lugar-co...

» foram espinhos contra ros...

» há coisas que eu sei

» (quase) tudo sobre justiç...

» videoclip #04

» surrealizar por aí

» (com)postura corporal soc...

» todos juntos somos mais

» (quase) tudo sobre cortej...

» amor: um silêncio coniven...

» o cintilante não é brilha...

» a conspiração do semáforo

» as lesmas & as alfaces

» molhar as partes pudibund...

» presos pelo nariz

» dog bless america

» inferência das coincidênc...

» eu acredito no mosquito

» quem tem o gay na barriga...

» tira-nódoas vs tira-teima...

» um eco do prazer

» estou cansado de ser sexy...

» amor: reavivando a memóri...

» cosmética sexual #02

» cosmética sexual #01

» amor: brincando com o fog...

» cravados na mente

» o universo paralelo

» mistério do objecto invis...

» 7 e picos, 8 e coiso, 9 e...

» #33

»séquito & móinas

»insultar shakermaker

»feeds & não-sei-quê

»tags

» todas as tags