Quarta-feira, 25 de Julho de 2007

os putos #01

 

Fazíamos da casa de banho, na casa da tia Celeste, a nossa sala de espectáculos. Eu, o Belai e o Bruno, éramos os artistas de serviço. Um de nós ficava em cada lado da banheira e, após contarmos até três, abríamos as cortinas da banheira ao mesmo tempo. Eis que surgia de rompante o Belai a cantar para um objecto – então estranho – a fingir de microfone. Fazia-mos aquele número vezes sem conta, e como só o Belai tinha jeito para cantar: eu e o Bruno batíamos palmas como se fossemos o seu público. Eram sobretudo canções da moda, na altura: coisas como Marco Paulo e as suas belas cantigas da Joana e da Anita. Também Maria Armanda com o seu batráquio a encher o papo; ou Suzy Paula com o seu camelo com muito pêlo. Estávamos convencidos que éramos mesmo uns grandes artistas, tal era o nosso empenho. Tudo bem, eu sei que somente abrir as cortinas da banheira não fazia de mim, nem do Bruno, artistas por aí além, mas asseguro-vos que fazíamos aquilo com perícia. Já o Belai, era sem dúvida um showman. Um entertainer na arte de cantar para um objecto estranho que servia de microfone. Certo dia, a Tia Celeste resolveu surpreender-nos durante um dos nossos espectáculos entusiastas. Prontamente, ralhou com o Belai e ordenou-lhe que largasse imediatamente o tal objecto. Então, ficámos os três a saber que o tal objecto que o Belai usava como microfone, tratava-se afinal duma mangueira de clister. Eu sempre achei estranho aquele artefacto pendurado junto ao autoclismo, mas nunca me ocorreu qual seria o seu fim. Fiquei com pena do Belai pois a partir deste episódio do microfone, ou antes: clister, nunca mais quis saber de cantorias em casas de banho. Perdeu-se um artista!

 

Um abraço...

shakermaker

 

para ver: Grease » Travolta /Newton-John
para ouvir: Boys Keep Swinging por David Bowie em Lodger
blogjob por shakermaker às 00:00

ISOLAR POST | DESANCAR POST | RECOLHER POST
10 LINCHAMENTOS:
De Manefta a 12 de Dezembro de 2006 às 17:32
Ora viva caríssimo, este texto fez-me lembrar da minha infância, Todo o santo ano, na altura do Natal, torturava o meu irmão, 6 anos mais novo, a ensaiar peças como a Dama das Camélias, ou mesmo a chegada do Cocas à Cidade das rãs...tentava por alguma problemática na criação, ora isto era girissimo, porque eu até fazia guiões, tudo temporizado, tudo irritantemente perfeccionista...a tristeza lol é que no fim ninguém queria ver, literalmente lol ok afinal esta história é deprimente. Uma mais girinha: À noite, antes de dormir, eu e o maninho cantávamos as canções todas dos anuncios, Oh rama oh que linda rama, frisumo grita o tampinhas, coca cola e a sua sensação de viver, sprite, nós não só cantávamos, como faziamos a sonoplastia, ora ganda par de cromos estes manos, mas o certo é que a moda pegou e já não havia festa de pijama que não levasse o nosso reportorio. E prontes foi assim. Assim parecida com essa só tive uma vez o meu sogro a pegar num tampão e a achar que era um supositório, mas eu perdoei, afinal só trazia uma cliente a almoçar comigo a casa, coisa pouca, eu corei, ela confirmou o que já desconfiava, pois, isso mesmo, a mulher e toda a familia é maluca e o meu sogro ficou com uma dúvida existencial a menos...Pronto, beijos e abraços.
De Feelings a 12 de Dezembro de 2006 às 20:23
É realmente engraçado 'vizinho' deambular pela blogosfera e descobrir novos blogs...

A infância repleta de brincadeiras incontáveis, cheia de riscos e rabiscos em papel, de mil cenários criados onde 'desenhávamos' ao sabor da imaginação...tantas tropelias...

Nota: Contra a Parede? Carcavelos? ainda nos encontramos por aí... Oeiras tb não é grande, eu se atravessar a estrada estou no Concelho de Oeiras, se não atravessar continuo em CAscais...curioso, mas há sempre uma linha limite!

Até breve...
De Diana a 12 de Dezembro de 2006 às 20:51
Grandes artistas... sim senhor! Abrir as cortinas tem o seu que... sim porque qdo era miuda também tive os meus espetaculos... na casa da eira em cima de uma arca de minho daquelas antigas... era um palco sufisticado... mas as cortinas improvisadas eram sempre algo teimosas para abrir... Como é bom recordar a infancia... :) Quanto ao tal microfone... so me faz lembrar das alegrias que deixamos para tras quando a inocencia nos abandona. Mas teve a sua piada... ;)
De Zuco a 12 de Dezembro de 2006 às 22:44
Ai então agora os Blogs são um Job? Para o Boy, sem duvida, que como canta, bem que se podia chamar George.

Mas não chama! Porque se fosse como o George vestido de mirandês, o Belai tinha-se borrifado para a convenção social castradora de não se cantar para um clister, até que a voz, ou outra coisa qualquer, lhe doa.

Assim se perderam Belai and the Courtinettes...
De Ana a 20 de Dezembro de 2006 às 01:07
Lamento ser desagradável mas "Fazíamos da casa de..." escreve-se sem hífen uma vez que se trata da primeira pessoa do plural, no pretérito imperfeito, do verbo fazer...
Não, não sou professora de português.
Para lavar a cara: gostei do blog ;)
De http://shakermaker.blogs.sapo.pt a 20 de Dezembro de 2006 às 02:06
Ora viva Cara Ana!

Sim, tem toda a razão, nem sei como me escapou tal erro grosseiro. Logo a mim, que faço questão de dizer que nunca dou erros. Excepto na pontuação, claro... Mas isso é um estilo e perfeitamente de propósito.

De facto, não era necessário ser professora de português para dar com este erro, bastaria apenas alguma atenção. Coisa que eu não tive, embora passe os posts que escrevo no telemóvel para aqui e raramente os corrija.

Grato pela sua atenção e também pela sua visita.
Volte sempre e nunca se preocupe em desancar este blog ou o seu autor com todo o seu afinco.

Um abraço...
shakermaker
De Mariana a 23 de Fevereiro de 2007 às 14:08
A visita poderá ser tardia, mas quando há #2 existe sempre um #1: li e gostei. Recoloquei a minha memória em vivências semelhantes e gostei de relembrar. Obrigado por me teres feito saborear a doçura dos (também) 'meus rasgos artísticos' :-)
De SÉQUITO & MÓINAS a 25 de Julho de 2007 às 11:49
Olá,

Daqui Suzy Paula, obrigada pelo teu comment.
Voltei a acordar para a vida e virei aqui, com tempo.

Beija
De Sereia a 25 de Julho de 2007 às 12:14
Maravilhoso...coração maravilhoso!!
:)
De Social mas Light a 25 de Julho de 2007 às 15:02
Boa tarde,
Que maravilha de text. Relembrei também a minha infância e como cantava as músicas da Suzy 4 com o chuveiro da banheira. O meu publico era um primo e 2 gatas e ele gostava sempre de abrir a torneira ( da água fria, claro).
Fica bem

desancar shakermaker

Blog Widget by LinkWithin

»posts & blogjobs

» música menstrual

» o amor faliu

» dead man walking

» alive and kicking

» saudade amolece

» música para gente grisalh...

» penálti de cabeça #01

» café puro

» mais (es)perto da estupid...

» do caixão ao berço

» você bate no seu pc?!

» parebenizar & desvaloriza...

» bamboleo bambolea

» subindo paredes

» videoclip #05

» recycle bin

» saturday night sweat

» deixem-me em paz!

» working class hero

» a frase feita: o lugar-co...

» foram espinhos contra ros...

» há coisas que eu sei

» (quase) tudo sobre justiç...

» videoclip #04

» surrealizar por aí

» (com)postura corporal soc...

» todos juntos somos mais

» (quase) tudo sobre cortej...

» amor: um silêncio coniven...

» o cintilante não é brilha...

» a conspiração do semáforo

» as lesmas & as alfaces

» molhar as partes pudibund...

» presos pelo nariz

» dog bless america

» inferência das coincidênc...

» eu acredito no mosquito

» quem tem o gay na barriga...

» tira-nódoas vs tira-teima...

» um eco do prazer

» estou cansado de ser sexy...

» amor: reavivando a memóri...

» cosmética sexual #02

» cosmética sexual #01

» amor: brincando com o fog...

» cravados na mente

» o universo paralelo

» mistério do objecto invis...

» 7 e picos, 8 e coiso, 9 e...

» #33

»séquito & móinas

»insultar shakermaker

»feeds & não-sei-quê

»tags

» todas as tags