Sexta-feira, 1 de Dezembro de 2006

porrada de meia-noite #01

 

Costumo utilizar a A5 para me deslocar para Lisboa, ou para regressar a Cascais, quando tenho pressa. Mas, bem vistas as coisas, a menos que seja durante a noite, nem sempre me demoro menos. E uma das principais razões para esse facto prende-se com os intermináveis trabalhos de manutenção que fazem na A5. Ora andam a cortar ervinhas junto às bermas e nos separadores de faixas, ou andam a recolocar a cal nos traços rodoviários, entre outras coisas que bem poderiam fazer noutras alturas, que não de dia. Um tipo paga portagens e espera circular normalmente, ficando apenas sujeito às demoras habituais do trânsito. Nem tanto assim, está a contar ficar parado na auto-estrada por causa dos encerramentos das faixas só porque os fulanos da Brisa resolvem jardinar nas sebes. Há uns tempos atrás resolveram alargar a A5 e condicionaram o trânsito apenas a uma faixa, o que provocava imensas filas, nomeadamente junto às portagens. Os utentes da A5 em vez de boicotarem as portagens, permaneciam impávidos e serenos, horas a fio, para pagar uma portagem duma auto-estrada que se quer rápida ou, pelo menos, sem demoras anormais. Penso que os portugueses estão a ficar indolentes. Tansos, mesmo. Precisamos urgentemente dum golpe à Steven Seagal! Que consiste sobretudo na vingança, partindo do nobre princípio que um individuo tem direito a vingar-se quando lhe fazem mal ou simplesmente o chateiam. O Steven Seagal, esse grande actor de cinema, o último dos canastrões no activo, nunca se deixaria vergar perante injustiças sobre ele próprio e muito menos sobre os seus familiares. Ou seja, se eu fosse irmão do Steven Seagal, este trataria logo de germinar um plano de vingança, pela honra da família, contra os gajos da Brisa. Provavelmente, entraria nas instalações da Brisa, junto às portagens da A5, e desatava à chapada a tudo e todos que lhe fizessem frente. E nem queiram imaginar o enxerto de tabefes que aqueles tipos iriam apanhar... Basta verem o Steven Seagal a aviar porrada de meia-noite para compreenderem que este gajo não brinca em serviço. Afinal, onde está o Steven Segal em todos nós? Não podemos ficar impávidos e serenos enquanto as instituições e serviços do nosso país nos tratam abaixo de cão ou como mero gado bem comportado. Ou, infelizmente, calado. O Steven Seagal tem sempre bons motivos para se vingar de alguém. Além disso, também deve ter uma família muito numerosa pois, em todos os seus filmes, ele vinga sempre um irmão oprimido ou um parente afastado injustiçado. Apelo a todos os portugueses para libertarem o Steven Seagal que há dentro de vós. Vinguem um irmão, vinguem uma irmã, toda a família, mas vinguem-se porra!

 

Um abraço...

shakermaker

 

para ver: Minority Report » S. Spielberg
para ouvir: The Horizon Has Been Defeated por Jack Johnson em On And On
blogjob por shakermaker às 00:00

ISOLAR POST | DESANCAR POST | RECOLHER POST
1 LINCHAMENTOS:
De tron a 2 de Dezembro de 2006 às 17:21
primeiro lhe agradeço a visita ao meu blog e em segundo lugar a retirada do gnt tem uma possivel explicação que é o programa linha direta mostrar que muitos supostos técnicos brasileiros da tv cabo são procurados no brasil por vários crimes especialmente violentos e conseguem entrar em portugal e fazerem parte dos quadros de firma de trabalho temporário que engajm pessoal para as visitas técnicas da tv cabo ou então alguma verba milagrosa prometida pela iurd para colocar a sua rede record.
em relação ao sic-comedia está na nova lei de tv que a para-ditadura socialista quer impor com o bemplácito do inútil do presidente da república e para acabar com isso precisariamos de muitos Stevens Segal's

desancar shakermaker

Blog Widget by LinkWithin

»posts & blogjobs

» música menstrual

» o amor faliu

» dead man walking

» alive and kicking

» saudade amolece

» música para gente grisalh...

» penálti de cabeça #01

» café puro

» mais (es)perto da estupid...

» do caixão ao berço

» você bate no seu pc?!

» parebenizar & desvaloriza...

» bamboleo bambolea

» subindo paredes

» videoclip #05

» recycle bin

» saturday night sweat

» deixem-me em paz!

» working class hero

» a frase feita: o lugar-co...

» foram espinhos contra ros...

» há coisas que eu sei

» (quase) tudo sobre justiç...

» videoclip #04

» surrealizar por aí

» (com)postura corporal soc...

» todos juntos somos mais

» (quase) tudo sobre cortej...

» amor: um silêncio coniven...

» o cintilante não é brilha...

» a conspiração do semáforo

» as lesmas & as alfaces

» molhar as partes pudibund...

» presos pelo nariz

» dog bless america

» inferência das coincidênc...

» eu acredito no mosquito

» quem tem o gay na barriga...

» tira-nódoas vs tira-teima...

» um eco do prazer

» estou cansado de ser sexy...

» amor: reavivando a memóri...

» cosmética sexual #02

» cosmética sexual #01

» amor: brincando com o fog...

» cravados na mente

» o universo paralelo

» mistério do objecto invis...

» 7 e picos, 8 e coiso, 9 e...

» #33

»séquito & móinas

»insultar shakermaker

»feeds & não-sei-quê

»tags

» todas as tags